Lazer
Operação Jardins da Infância: Férias, o grande desafio.

Operação Jardins da Infância: Férias, o grande desafio.

aberturaPor Drica Lobo

Nunca fui daquela mulheres que foram criadas para ser « dona de casa ».

Nunca tive também, em casa, um modelo que pudesse me ensinar a ser. Pelo contrário, minha mãe sempre trabalhou e teve empregada. Para tudo sempre, ou estava feito ou tinha alguém para fazer… cama, cozinhar, lavar.

Lembro que quando tinha 15 anos aprendi a fazer um pão de queijo de liquidificador para impressionar um namoradinho e quando fui à casa dele mostrar o que sabia fazer na cozinha, a mãe dele virou para mim, depois de comerem tudo e disse :    – « Posso te dar um conselho ? Saiba fazer apenas alguns pratos deliciosos para grandes ocasiões e assim, quando for para a cozinha, te elogiarão e não precisará ficar trancada na cozinha ».

Ela, sendo dona de casa, mãe de 5, achei que era honesto da parte dela me dizer isso, mas até hoje não tenho certeza se não estava morrendo de ciúmes do filho…

Assim, cresci seguindo o conselho e o modelo que tinha em casa e sempre estudei e trabalhei muito ! Casei, depois, com um homem divorciado e com isso, herdei um pacote de filhos, ex-mulheres e funcionários.

Quando tive meus filhos, depois de 14 anos casada, não tinha a menor dúvida de que queria ser mãe. Queria ser uma boa mãe,  não destas que é amiga,  ou daquelas mães animadas que mais parecem tia de festa infantil. Queria ser simplesmente boa.

Por isso a casa sempre ficou em segundo plano. A empregada, se gostasse de criança, nem precisava lavar, cozinhar, limpar tão bem.

Porém, hoje, pela primeira vez na vida me  vejo numa situação difícil,  com as crianças e  37 (TRINTA E SETE ! ) dias de férias pela frente, sem funcionária ! A senhora do sítio se aposentou, a faxineira desistiu de fazer um extra e por causa de uma empregada que se dizia evangélica e roubou todos os meus sapatos, estou traumatizada. ( só não levou o meu sapato preferido pois eu estava usando no dia que resolveu fazer o rapa)

Hoje me vejo numa situação difícil, por isso resolvi escrever esta coluna para deixar registrado passo-a-passo como sairei desta situação, pelos próximos 37 dias.

E agora ? … continua amanhã.

Compartilhe!

Posts relacionados

Pesquisar