Meu filho não come. E agora?

Updated: Sep 12, 2018

por Izzi Pozzi


Algumas crianças parecem ter o poder de desesperar mamãe e papai com a história de que não vão comer absolutamente nada.


Some-se isto à ida mensal ao pediatra. Ao ouvir aquela frase: “Seu filho está abaixo do peso!", é muito desanimador para o casal, não?


É claro que não estou falando daquele tipo de criança que mama, toma leite a noite toda e por consequência come muito mal durante o dia. Para essas crianças a simples atitude de tirar o leite da noite já resolve - como resultado passam a se alimentar normalmente durante o dia.


Refiro-me àquela criança astuta, muito bem articulada verbalmente, bastante determinada e que diz olhando nos seus olhos um grande "não". "Não vou comer!"

Certo dia, na hora do almoço, estava eu frente a frente com um menino desses, ele me olhando com aquela carinha de desafio e esperando para ver qual seria a minha reação com sua decisão de não querer comer. Sentei-me com ele, olhei bem em seus olhos e disse: "Quer dizer que você quer ser um anão?". Imediatamente, ele me respondeu: "Eu? Eu não! Quero ser igual ao meu pai, muito grande!" Retruquei: "Mas você não irá crescer se não comer…" Imediatamente levantei-me e saí. Passado algum tempo, retornei à sala de almoço e fui indagada por ele: "Como é mesmo aquela história que a comida desce pelo pescoço e pesa no estômago?" Respondi: "Eu nunca disse isso, o que eu lhe falei é que a comida que está na boca escorrega pelo escorregador da garganta, chega na barriguinha e se transforma, fazendo crescer pernas, braços, cabeça e o muque." Saí novamente e quando voltei, ele havia "raspado o prato".


Que satisfação, dever cumprido com base no diálogo, ponto importantíssimo no processo de aprendizagem. O processo funciona com qualquer coisa que queiramos aprender ou ensinar. É falando que a gente se entende.


Este texto faz parte da série: "O dialogo na aprendizagem" por Izzy Pozzi.

  • Instagram - White Circle

© 2018 by Purple Bonsai. Proudly created with Wix.com